terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Vampiros IV

“Cada cavadela, sua minhoca!”
Os “fidalgos” só fazem batota!
Criam Leis para o Povo cumprir
Com “escapatórias” para eles puderem fugir!
Com auxílio dos grandes “gabinetes”
Dançam valsas e minuetes
Na faustosidade dos grandes salões
Parecendo “sérios”, mas sendo ladrões!
Fogem ao fisco e à responsabilidade
Vivem em total impunidade
A miséria pula e avança
Enquanto eles enchem a pança!

Parada, devagar ou devagarinho
Dona Justa abre caminhos com larga saída
Quando se trata de peixe graúdo!
O “veredito” é quase sempre:- “Limpinho!”
E com o tempo a “coisa” fica esquecida
O Povo continua cego, surdo e mudo!
Deitado na areia a gozar o Verão
Continua à espera de um Sebastião
Sempre a pedir uma esmolinha

Tudo se encolhe...ou é impressão minha?

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Vampiros III

O grande capital chantageia...quer mandar!
O político cede...quer ganhar!
Ambos, viram tudo de pernas para o ar
Enquanto houver Estado para saquear
E o Zé Povo comer e calar!

Laranja, vermelho, azul ou rosa
Todos nos impingem a mesma prosa
De que toda a vida é espinhosa
Mesmo para aqueles que a têm jeitosa!
É preciso muitos sacrifícios...
E nada de vícios!
Vícios são para os “marechais”
Da especulação, da política e outros mais

O trabalho pouco ou nada vale...
Nunca se viu nada igual!
Muitos aspirantes a novos ricos
Vendem a honra por três penicos!
Usurpam cargos e funções
Também querem ser chefões!
Fazem as Leis a seu bel-prazer
Porque o que querem é poder
“Lavar as mãos” em qualquer “riacho”
Com um pé na política e outro no tacho!

Roubaram-nos nas reformas...
Tudo sobe, menos os salários!
Desrespeitam todas as normas
Mentem ou não declaram inventários!
Vendem Portugal ao desbarato
Para agradar ao capital especulador
Mudam de camisa, trocam de fato
Transformam nossas vidas num horror

Impunes a todos os julgamentos
Que o povo faz dos seus atos
Lavam as mãos como Pilatos
Estudam bem os seus argumentos
Preparam os possíveis depoimentos
E nós...continuamos a ser “patos”
Falsificam as contas, inventam artimanhas
Fogem ao fisco, lavam dinheiro
Sugam o Povo até às entranhas
E dizem uns para os outros: Pá, é porreiro!


quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Vampiros II

Com tanto bandido à solta
E tão poucos no xadrez
Sinto náuseas e revolta
E choro, de quando, em vez!

Estamos a ser espoliados
Pela classe dirigente!
Precisam-se Homens honrados
Gente séria, que não mente!

De aldrabões estamos fartos
De falsários estamos cheios!
Larápios, Miseráveis...

Manada de mentecaptos
Que fecham os olhos aos meios
Para os seus fins execráveis!


terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Vampiros I

 São como o vírus da peste
Estão em qualquer lugar
Não fazem nada que preste
Só sabem mesmo roubar

De fatiota e gravata
E sapato a combinar
Onde metem a real pata
É só para nos tramar

Encobrem-se mutuamente
São uma seita muito unida
Na defesa do seu “bom nome”

Nas Ilhas e no Continente
Vivem em área protegida

A “brincar” com quem tem fome

domingo, 30 de novembro de 2014

São Francisco Assis

Com este “rosário” de cambalhotas...só pode ser “santo”, se não já tinha partido a “espinha”!
Daí, o título que escolhi para demonstrar toda a minha repugnância pelos atos praticados por este “camaleão político”, que tudo indica se prepara para engrossar as hostes laranjas ou para fazer parte da lista de fundadores de um novo partido.
Pelos vistos, Francisco gosta de ser oposição no PS, mas só até ao dia em que lhe acenem com um lugar à sombra, como aconteceu quando encabeçou a lista para o Parlamento Europeu! Aí tornou-se um defensor acérrimo de Seguro, seu antigo adversário, de quem disse coisas pouco abonatórias (para ambos)...
Agora no Congresso do PS resolveu fazer birrinha e ir para casa, sem tugir nem mugir... O “oásis europeu” já lá canta e quando terminar o mandato, logo se há de ver... (isto se não se concretizar a “transferência” para o PSD - partido generoso para os “arrependidos”- nem se concretizar a fundação de um novo Partido, onde estará como peixe na água e não lhe faltarão protagonismo e mordomias...)
O PS (em quem vou votar depois de António Costa ter afirmado que não fará alianças com o PSD) por mais pluralista que seja, não pode albergar no seu núcleo dirigente oportunistas como Assis, que mudam de “discurso” como quem muda de camisa!
Numa altura em que as cúpulas do PS se devem manter unidas na luta pelo derrube do desgoverno de Passos, Assis responde com mais um “coice” no PS...

Post Scriptum
Meu ilustre troca tintas: - Se ainda lhe resta um pingo de vergonha, peça para ser substituído no Parlamento Europeu.


sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O futebol do Benfica

O Afastamento do Benfica do Futebol Europeu não é obra da sorte, do azar ou do acaso!
Não podemos perder de vista que as grandes equipas não são invencíveis, e que o simples facto de uma bola entrar ou bater no poste pode fazer toda a diferença, mas há um conjunto de variáveis observáveis que me levam a considerar que o Benfica (Vieira, Jesus e a equipa propriamente dita) não é uma equipa de “dimensão” europeia.
Vieira está para a Europa como um rato está para um pedaço e queijo dentro da queijeira. Não desiste de o tentar comer e espera pelo momento certo! Jesus está para a Europa como um aldeão do interior, a quem saiu o euromilhões, está para um hotel de cinco estrelas!
Vieira e Jesus, em minha opinião, não têm o necessário “suporte cultural” que, hoje. faz a diferença entre os dirigentes e treinadores europeus e mundiais.
É inegável a competência “técnico/mecânica” quer de um quer de outro. Para consumo interno pouco de negativo há a apontar-lhes, à exceção daquelas hesitações e falhas respiratórias provocadas pelo seu pouco à vontade com a cultura geral.
É certo que os jogadores de futebol não são propriamente “enciclopédias”, mas os grandes jogadores estão sempre dispostos a aprender e quando o saber dos mestres se esgota...
Vieira e Jesus parecem-me tudo menos dois estudiosos do futebol. O seu praticismo (bem sucedido), muito provavelmente, leva-os a pensar que sabem tudo! Fazem copy and past dos êxitos, como se o mundo do futebol tivesse deixado de evoluir...
Dizem “maravilhas” quando se remetem ao silêncio... Quando falam estragam tudo! A falta de substância do “discurso” é notória! As fragilidades comunicacionais são evidentes
Erudição precisa-se! Sem destruir a matriz popular do Benfica, claro! Porque ser erudito não implica que se deixe de ser simples...bem pelo contrário! O que convém é não confundir simplicidade com analfabetismo!


Post Scriptum

Penso que no futuro próximo não estarão reservados “momentos altos” à equipa de futebol do Benfica! Com o pé fora da Europa, os jogadores de elevada qualidade, em Janeiro próximo, vão querer rumar a outras paragens onde tenham “palco” para poderem mostrar as suas qualidades. A vitrina da Luz, apesar da grandeza do Benfica é pequena para “estrelas” de primeira grandeza.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A prisão de José Sócrates

José Sócrates é uma pessoa com quem não simpatizo, desde poucos meses após ter tomado posse como 1ºministro. Considero-o um pedante, arrogante e ditador, mas goste-se ou não dele, não podemos permitir esta “pouca vergonha” que foi a sua detenção e prisão preventiva.
Não sei se cometeu algum crime ou não (se cometeu deve ser condenado), mas aquela “submarinada gold em direto” não pode admitir-se num país que se quer livre e democrático.
Toda aquela “tristeza” a que assistimos e, muito provavelmente, vamos continuar a assistir é própria de um País onde reinam os pobres de espírito, escondidos atrás de um muro de hipocrisia, a fingir que são sérios e verdadeiros.
O que aconteceu com Sócrates não pode acontecer com ninguém. Um País democrático não pode permitir que se façam julgamentos na praça pública com base em “folhetins” transmitidos em direto pelas televisões, criados por comentadores de toda a espécie, mas de competência e honorabilidade duvidosa...
A Ministra da Justiça assiste impávida e serena ao desenrolar dos acontecimentos como se a Justiça também seja regulada pelas leis de mercado... O Povo gosta? - Vamos em frente!
A orquestra está desafinada, mas toca e o que o povo quer é música e pretexto para envenenar as suas frustrações...
Sinto vergonha do meu País, como sentiria se Portas, Cavaco ou Passos (pessoas que me provocam vómitos) fossem detidos e tratados como foi Sócrates!
Não é esta a Justiça a que aspiro. Preventivamente, peço à Srª Ministra que nos faça o favor de se demitir.