domingo, 19 de Outubro de 2014

Coisas de pássaros

Através de convocatória pelas redes sociais
Reuniram-se vários animais
Todos eram voadores
Pequenos...já todos velhos e de várias cores!

Disseram os pombos, nessa reunião
Os corvos roubam-nos o Pão!
Desde que me reformei
Quanto perdi? Eu já nem sei!

Nos ordenados dos “corvos” chefes...
Alguém mexe? É o mexes!
Alcavalas, subsídios, mordomias...
É sempre a subir! É um ver se te avias!

Metem nojo, os mentecaptos
Que se consideraram “muito aptos”!


Com amargura e sabedoria
Botou pio a cotovia...
Terminou afirmando:
Temos que enfrentar o bando!
Se o não fizermos, os reformados
Ao esquecimento estão condenados

Depois falou a rola
Para dizer: Esta malta anda tola!
A passarada nova
Acha que os velhos já devem anos à cova...
São um peso para o equilíbrio da balança
Vivos, só dão prejuízo e não dão herança!
Espoliados dos seus direitos
Os velhos só têm defeitos!

Os corvos e outras aves de rapina
Estão a empurrar-nos para a ravina!

Vários foram os que se queixaram dos corvos papões
Que já só falam em milhares de milhões!
Que deixam muita derrama...
Cartel sacana!

Quem descontou a vida inteira
Não pode ser vítima desta roubalheira!

Em último piou o pardal
Começou por dizer: Isto assim está mal!
Vamos morrer à míngua
Se não soltarmos a língua...
Quanto mais calados ficarmos
Mais vão roubar-nos!
Vamos meter mãos à obra
Deixar de rastejar como a cobra!

Maldito seja quem nos mata os sonhos!
- Que renasça a esperança de dias risonhos!

quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

UE

Limpemos o cú a esta União
Onde só se fala em milhões, mas não há Pão!
Os pobres são cada vez mais
A esperança está a morrer no Cais!

Falsários, mentirosos, malvados...
“Donos” de uma legião de desgraçados
Só pensam no próprio bem-estar...
E o Povo é que tem que pagar!

No dia em que a mama lhes acabar
Vão ter muito que correr e andar
À frente do Povo enfurecido

Talvez nesse dia fiquem a saber
O que custa passar a vida a sofrer...

E que tanta crueldade não faz sentido!

segunda-feira, 13 de Outubro de 2014

Que País é este?

Num dia destes, dei comigo a ouvir a chuva e a pensar no País que somos. Fui formulando hipóteses que armazenei no “sótão”...
Hoje, sentado frente ao computador vou partilhá-las convosco.  
Hipótese 1 - Um Reino de mentirosos?
Um inquérito feito por uma conceituada fábrica de sondagens revela que entre a classe política ninguém assume que mente! Os mentirosos são sempre os outros! Se ninguém assume que mente...não podemos ser o reino dos mentirosos!
Hipótese 2 - Um Oásis para os corruptos?
Toda a gente diz, incluindo prestigiadas instituições internacionais, que um dos grandes problemas de Portugal é a corrupção, mas a avaliar pelo que se pode observar nos Tribunais e nas prisões, Portugal é uma “virgem santa” onde tudo funciona com a vontade de Deus e segundo a sua Doutrina. Não se vislumbram ninhos de corruptos! Portugal é um País de Gente séria e de bons costumes! Os senhores advogados e os meritíssimos juízes que o digam...
Hipótese 3 – Uma Trupe de falsários?
Tem havido para aí uns “casos”, mas nada de importância! Cada um faz pela vidinha... (quem pode, claro!) Deixemo-nos de tretas, porque os visados são sempre gente de alto nível e gente de alto nível...é gente de alto nível! Estão acima, compreendem? Só conheço um grupo de falsários organizados, o que é manifestamente pouco para podermos afirmar que Portugal é uma trupe de falsários!
Hipótese 4 – Uma selva de compadrios?
Sinceramente, não conheço nenhum Animal Selvagem chamado compadrio e embora a selva seja uma realidade, eu chamar-lhe-ia solidariedade entre pares. Para mim que sou um nadinha gago tudo não passa de uma áfia embuçada!
Hipótese 5 – Uma cambada de incompetentes?
Os exemplos são gritantes, mas não é justo generalizá-los. E cambada também não me parece o termo certo. Prefiro a expressão “ fina flor da Incompetência” dado o calibre e o jaez dos seus representantes máximos.
 Hipótese 6 - Um Rebanho de Lacaios?
Cruzes, canhoto, abrenuncia! Quando muito, cordeirinhos amestrados a tratar da barriguinha! O manto que os cobre não deixa passar o frio e daí a sua doçura e o acatamento da “imolação” de Portugal. É tecido de fabrico alemão! É tudo gente que abraçou a Democracia e que de vez em quando se entretém a apertar-lhe o pescoço... Brincadeiras de crianças irresponsáveis...
Hipótese 7 - Um cardume de piranhas?
Fomos realmente vítimas de um cardume de “peixes desconhecidos”, altamente perigoso para a saúde, educação e justiça social, mas que não devora tudo o que lhe aparece pela frente. São peixes de apetite seletivo que respeitam, entre outros, trutas e tubarões e seus derivados...
Hipótese 8 - Um Cartel de saqueadores?
Portugal tem estado a saque, mas não vislumbro qualquer cartel. Os saqueadores (Especuladores sem rosto, BPN, BES e outros) agem por conta própria para encher o bornal. Estamos num patamar em que os tubarões se tentam comer uns aos outros, sabendo que quando for descoberta a marosca...o Povo lá está com a mesa posta!
Hipótese 9 - Uma Academia de doutores analfabetos?
Conheço muitos “fastdoutos”, mas não estou seguro de que sejam analfabetos.
Politicamente, são poucos os que conseguem perceber a complexidade do mundo de hoje e até houve um que disse que não lia jornais (salvo erro), não tinha dúvidas e raramente se enganava. (Infelizmente para nós, agora, os enganos são em catadupa!)
Hipótese 10 – Um Clube de amnésicos?
Tem havido alguns casos de amnésia a nível da “estratosfera”, mas nada que uma longa cura de sono não remedeie. Geralmente são casos relacionados com dinheiro e isso é o que mais há para aí, nos bolsos dos ricaços! Portugal não é um Clube de amnésicos. Portugal é um País onde alguns amnésicos estão a tentar formar um Clube.
Hipótese 11 - Uma Seita de vampiros?
Se o Zeca fosse vivo talvez lhes chamasse isso, mas ele era revolucionário e isso agora já não se usa falar de revoluções, mesmo depois da pacífica Revolução de Abril. Estamos na era das reformas que é um conceito mais “simpático” para quem detém o poder. Não lhe chamaria vampiros, até porque não há “caninos” para tantos assessor(as), chefes, chefinhos e chefões...
Hipótese 12 - Uma coutada de Javalis?
Existem diversas coutadas em Portugal. Descriminar os javalis não me parece correto.
Hipótese 13 - Uma Equipa de jogadores do “faz de conta”?
Somos um país de jogadores. Os cofres da Santa Casa e outros cofres clandestinos comprovam isso. O jogo do faz de conta está a proliferar e a enraizar. Nada vale hoje o suficiente para valer amanhã. O virtual vai tomando conta de nós. Os princípios foram substituídos pelas contingências do mercado e os valores foram substituídos pelo dinheiro. Mesmo assim são muitos os que têm que enfrentar a realidade do dia-a-dia, quase sempre dura! Portugal não é um país de jogadores do faz de conta, embora sejam muitos os “asnos” que fazem de conta que as pessoas são um número!
Hipótese 14 - Um Barco à deriva, sem destino e sem rumo?
Há vários anos que um amnésico aniquilou a nossa vocação marítima, destruindo tudo o que ao longo de décadas nos manteve virados para o mar. Falar em Barcos causa-me náuseas depois do que tem sido feito para nos afastar do Mar, onde poderá estar a nossa salvação!
Um barco à deriva serve sempre os interesses de alguém!
Vejam se alguém se preocupou com Portugal quando desbaratou o dinheiro dos fundos. Claro que não, porque ele trazia bilhete de ida e volta!
O destino e o rumo, em primeiro lugar, são definidos à volta do interesse próprio e só depois do interesse público!
Portanto, a deriva é programada e o destino e o rumo estão “bem” definidos por quem nos desgoverna!

Esgotadas as hipóteses que me vieram à cabeça naquele dia, cercado de verde Natureza a ouvir a chuva, concluo com a única resposta que, neste momento, me parece plausível:

- É (somos) UM PAÍS DE MERDA!

terça-feira, 7 de Outubro de 2014

(falta de) Vergonha

Abrem-se as Portas que nos permitem caminhar a Passos largos para a morte.
Ninguém passa Cavaco aos fracos. A Justiça, a Saúde e a Educação estão pelas ruas da amargura. A Economia não arranca! A incompetência é tanta que se nada for feito Portugal colapsa. O compadrio é tal que só os amigalhaços são escolhidos para os serviços do Estado... A corrupção continua a alastrar, a máquina da propaganda reforça-se a cada dia!
Portugal afunda-se cada vez mais num emaranhado de erros provocados pela incompetência política do governo (inexperiência?) que teima em hipotecar o nosso futuro coletivo. Numa ânsia desmedida de agradar à “madrinha” e ao grande capital especulador, este governo não olha a meios contra os mais fracos para atingir os seus fins de desvalorização do Trabalho. Coloca no limiar da pobreza e abaixo dele uma parte considerável da população, que deste modo fica na condição de trabalhar a qualquer preço e desprotegida nos seus direitos fundamentais.
Quando as coisas ficam feias, Cavaco finge que dá um puxão de orelhas, Passos e Portas fingem um desentendimento para ganhar tempo e passar ao lado das decisões que deviam ser tomadas para que a nossa dívida pare de crescer desmesuradamente e seja possível desenvolver a nossa Economia. Aparentam estar em discordância, mas nunca estiveram tão unidos para espoliar os mais fracos.
Numa aparente chantagem, vergonhosa, Portas condena o servilismo de Passos e ameaça bater com a porta, mas, como estamos fartos de ver, isso não passa de uma pura manobra de diversão para amolecer a oposição ao governo, levando as pessoas a pensar que os gravíssimos problemas em que nos mergulharam vão ser resolvidos, porque o Paulinho das feiras, da Moderna e dos submarinos não permite mais abusos... Passos Coelho faz o papel de cordeirinho ao colo do seu pastor, pois a única coisa que lhe interessa é assegurar os privilégios e as mordomias da alcateia que nos desgoverna.
O que se está a passar na Educação, na Justiça e na Saúde, para não falar dos “esquecimentos” de Passos Coelho, num País a sério, já teriam provocado muitas demissões, mas num País do faz de contas como o nosso, nada acontece. Ninguém assume a culpa, que é sempre dos outros!
Que vergonha! Que falta de caráter!

Post scriptum
Aceito que Nuno Crato tenha competência para Diretor Geral dos Auxiliares de Ação Educativa, mas para Ministro da Educação...francamente.
Também tenho a noção que a Ministra da Justiça seria uma boa Oficial de Justiça...
O que se passa nas Escolas e nos Tribunais leva-me a crer que naquelas cúpulas ministeriais anda tudo no Prosac e no Xanax!

Nos Hospitais nem vou falar, Vão lá e vejam, porque sem ver, nem dá para acreditar!

segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

Os lambe cus


Atenção dirigentes das concelhias do PS que estavam "com unhas e dentes" ao lado de Seguro (à espera que sobrassem umas migalhas): Não se demitam, não regressem à base! Mantenham-se firmes nos vossos lugares para poderem, agora, lamber as botas e abocanhar os tomates do Costa e ir metendo areia na engrenagem... Porca miséria!
Que tal criarem o Partido dos lambe cus? Tenho quase a certeza que nas próximas legislativas conseguiriam eleger um deputado! O grande problema é que são muitos cães para um osso só!

Lá vem mais um lambedor
já com a língua de fora
Lambe o que preciso for
Ele só não quer ir embora!

Foi nomeado "patrono"
e assim quer permanecer
Desde que seja o dono
nem se importa de perder!

Coitado do imbecil
que não vê a floresta
mesmo ali ao seu redor

E mesmo com razões mil
não reconhece que não presta
e pensa que é o melhor!

domingo, 28 de Setembro de 2014

O bando dos canalhas

Atenção! Tudo a postos
Chegou o cobrador de impostos
O bando quer lá pilim...
Nunca se viram mentirosos assim!

Muitos falsários e outros que tais
É uma vergonha, é demais!
Se não pomos fim a esta cambada
“Eles comem tudo e não deixam nada”!

Pobre país desgovernado...
Assim não vamos a nenhum lado
Apenas deslizamos para o abismo

Aquele pavão todo emproado
Que tem o "rabinho" todo entalado

É o cúmulo da mentira e do cinismo!

sábado, 27 de Setembro de 2014

O traficante

Era tempo de vacas gordas...
A troco de quê...não sei!
E ele abria as portas todas
Sem se importar com a Lei

Apanhado na ratada
Ainda goza com o pagode
Diz não se lembrar de nada
E o Povo é que se f...

A matilha continua
A enterrar Portugal
Mas o Povo bate palmas

Se não forem para a rua
Dia a dia cresce o mal

E a corrupção vive nas calmas